01/04/2024
SAÚDE

 

Saúde avança no atendimento à população com mais serviços e resolutividade


A Saúde do Piauí deu importantes passos nos 100 primeiros dias do governo Rafael Fonteles. Foram dezenas de ações que possibilitaram a ampliação do atendimento em saúde à população, bem como a implantação de novos serviços. Novos leitos, conclusão de obras, e o maior programa de cirurgias eletivas da história estão entre as ações. Lançado em março, o “Programa Saúde em Dia” tem como objetivo principal zerar a fila de cirurgias eletivas até outubro. Serão mais de 15 mil procedimentos eletivos, além de mais de 27 mil cirurgias de catarata. “Estou feliz, como governador, por dar de presente ao Piauí, junto com o presidente Lula, este programa de redução de filas de cirurgias. Garanto que o Piauí não vai só diminuir até outubro deste ano, nós vamos é zerar a fila de cirurgias eletivas”, disse o governador. Para executar o programa de redução de cirurgias eletivas, o Ministério da Saúde disponibilizou R$ 9 milhões. O Governo do Piauí entrou com mais R$ 10 milhões para que a fila seja zerada. “A determinação do governador é que as pessoas não esperem mais de 60 dias para ter a cirurgia realizada”, declarou o secretário de Estado da Saúde, Antonio Luiz. Outro eixo do Programa Saúde em Dia é a implantação de novos serviços em unidades de saúde. No Hospital Getúlio Vargas (HGV), por exemplo, foram autorizados os serviços de cirurgia cardíaca, hemodinâmica cardíaca, assistência do infarto agudo do miocárdio (IAM) e acidente vascular cerebral (AVC), ambulatorial pós-transplante renal e habilitação oncológica. Já para o Hospital Areolino de Abreu foi autorizado o serviço de odontologia. Para o hospital Tibério Nunes, em Floriano, serão disponibilizados, até maio deste ano, os serviços de ambulatório de especialidades e habilitação em ortopedia de alta complexidade. Já no Hospital Regional Deolindo Couto, em Oeiras, foi autorizado o serviço de pediatria 24 horas. Marcapasso Antes mesmo do lançamento do Saúde Em Dia, a Secretaria da Saúde realizou uma ação inédita no estado, que foi o primeiro mutirão para implante de marcapasso. O serviço foi realizado por meio de uma parceria com o Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI) e Fundação Municipal de Saúde (FMS). Foram mais de 40 procedimentos feitos. “Essa parceria com o HU proporcionou que vidas fossem salvas. Aqui é o SUS, gratuito e bom”, afirmou o secretário da Saúde. E por falar em HU, outra parceria inédita com o Governo do Piauí possibilitou a implantação de 20 novos leitos de UTI naquela unidade de saúde. Um investimento de R$ 3,4 milhões do Tesouro Estadual. “Vamos investir ainda mais para requalificar e abrir mais 10 leitos de UTIs, totalizando 30 leitos no Hospital Universitário” garantiu o governador. uti Atendimento preventivo que salva vidas O enfrentamento ao acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto agudo do miocárdio (IAM) vem salvando vidas no Piauí. As linhas de cuidado do AVC e do IAM, implantadas pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) há 5 meses, já evitaram dezenas de mortes em todas as regiões do estado. Mais de 700 pacientes já foram atendidos pela teleassistência, que inclui neurologia e cardiologia 24 horas, e 120 trombólises foram realizadas no SUS em todas as regiões de saúde do Piauí. Para as linhas de cuidado saírem do papel e chegarem de fato à população, a Sesapi fez um plano de ações incluindo a qualificação de mais de 4000 profissionais de saúde, da descentralização da alta complexidade e de um banco de dados. linhas HGV O Hospital Getúlio Vargas (HGV), o maior hospital público do estado, já conta com a primeira Unidade de AVC totalmente SUS. São dez leitos monitorizados e com equipe multidisciplinar capacitada, conforme regulamentado pela portaria nº 800 do MS de 2015. Para o superintende de alta e média complexidade da Sesapi, Dirceu Campelo, a capital contará com uma rede de apoio de outras unidades hospitalares para garantir um melhor atendimento ao paciente vítima de AVC e IAM. “É a primeira unidade deste tipo no Estado do Piauí, com 10 leitos, todos equipados, com tudo que a portaria exige. Isso vai ser muito importante para a população, tendo em vista que vamos ter na capital uma unidade específica para o AVC, altamente especializada”, explica Campelo. A equipe será composta de sete neurologistas, sete clínicos gerais, médicos endovasculares, enfermeiras, fisioterapeutas e fonoaudiólogos. Recorde de cirurgias O HGV bateu mais um recorde no mês de março, quando realizou 1.331 cirurgias. Um aumento de 18% em relação ao mês anterior, fevereiro. Os dados são do relatório de cirurgias do centro cirúrgico do hospital. Somente em março, foram realizadas nove cirurgias cardíacas. Em janeiro foram realizados 1.083 cirurgias; 1.090 em fevereiro e 1.331 em março. Hospitais trabalhando intensamente Os hospitais públicos da rede estadual estão funcionando com sua capacidade máxima. O Hospital Infantil Lucídio Portela, por exemplo, zerou a fila de espera por uma UTI graças a implantação de novos leitos. Já, o hospital de Corrente retomou às cirurgias eletivas. Em março, 44 pacientes da região foram submetidos a cirurgias de baixa e média complexidade. Em Campo Maior, novos leitos de UTI serão entregues com a finalização da obra física da UTI do Hospital Regional, que terá 10 modernos leitos de terapia intensiva, disponíveis para a população a partir de maio 2023. Vacinação em Dia O Programa Saúde em Dia, além de acelerar as cirurgias eletivas, tem como objetivo incentivar a vacinação no Piauí. A exemplo do Movimento Nacional pela Vacinação, lançado pelo governo federal, o Piauí quer mobilizar a sua população com o objetivo de retomar as altas coberturas vacinais, tanto contra a Covid-19, como em outros imunizantes do Calendário Nacional de Vacinação. No Piauí, assim como em todo o país, a pandemia da Covid-19 teve um impacto significativo em diversas áreas relacionadas à saúde da população. Com a disseminação do vírus, muitas pessoas deixaram de comparecer aos postos de saúde para receber as vacinas de rotina, levando a uma diminuição da cobertura vacinal e, consequentemente, a um aumento no número de casos de doenças imunopreviníveis. A baixa cobertura vacinal no país deixa a população infantil exposta a doenças que antes não eram mais uma preocupação, como o sarampo, que foi erradicado no país em 2016 e em 2018 voltou para a lista de doenças no Brasil. Além do sarampo, outras doenças que correm o risco de voltar a acometer as crianças são a poliomielite, meningite, rubéola e a difteria. vacina “Com a pandemia houve uma grande queda na cobertura vacinal. Anteriormente, havia uma cobertura de 90% levando em conta as vacinas que são obrigatórias e as anuais, para crianças e as pessoas que têm algum problema e devem se prevenir. Com o Saúde em Dia, queremos voltar ao nível anterior, que caiu para menos de 70%”, explica o secretário da Saúde. Assistência laboratorial O Laboratório Central de Saúde Pública “Dr Costa Alvarenga”, o Lacen-PI, passou a realizar testes para o diagnóstico da MPox, que anteriormente era chamada de varíola dos macacos. Antes, as amostras eram enviadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém do Pará, e o resultado demorava em média 20 dias para chegar ao estado. O Lacen implantou ainda o método de análise Interferon Gama Release Assay (IGRA) para diagnóstico rápido e confiável da tuberculose e a implantação do novo método para diagnóstico da Carga Viral do HIV, HCV, HBV. Assistência à população A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), em parceria com a Associação Reabilitar, entregou 1.351 meios auxiliares de locomoção para a população de Picos e de municípios da região do Rio Guaribas. Os equipamentos beneficiam a população de 12 cidades, e são provenientes do programa “Passo à Frente”, iniciativa do Sistema Único de Saúde (SUS), que no Piauí é executada por meio da Sesapi. A Sesapi, por meio da Divisa, implantou a segurança do paciente na Atenção Primária à Saúde (APS) em parceria com o Planifica SUS.

 

piauidobem.com (c) 2017 - Todos os direitos reservados.